Tempo de Tela na Primeira Infância: As Diretrizes da OMS para um Futuro Saudável

Blog

A Organização Mundial da Saúde (OMS) tem se dedicado a fornecer diretrizes valiosas para a saúde e o desenvolvimento infantil, e uma das áreas em que têm se destacado é o tempo de tela para crianças na primeira infância. Essas recomendações são fundamentais para garantir um ambiente saudável e propício ao crescimento das crianças. Neste artigo, vamos discutir as recomendações da OMS para o tempo de tela na primeira infância.


Menores de 2 Anos: Restrição Total
De acordo com a OMS, crianças com menos de 2 anos de idade não devem ter acesso algum à telas eletrônicas, como smartphones, tablets ou televisões. Isso se deve ao fato de que os primeiros anos de vida são cruciais para o desenvolvimento cognitivo, emocional e físico da criança, e a exposição a telas nessa fase pode prejudicar esses aspectos.


Entre 2 e 5 Anos: Uma Hora por Dia
Para crianças com idades entre 2 e 5 anos, a OMS recomenda uma exposição limitada ao tempo de tela, com um máximo de uma hora por dia. Nessa faixa etária, as crianças ainda estão em um estágio crucial de desenvolvimento e precisam de interações sociais, atividades físicas e brincadeiras para estimular suas habilidades cognitivas e sociais.


Entre 6 e 10 Anos: Até Duas Horas por Dia
À medida que as crianças crescem e entram na faixa etária de 6 a 10 anos, a OMS permite um aumento no tempo de tela, com um limite de até duas horas por dia. No entanto, mesmo nessa fase, é fundamental equilibrar o tempo de tela com atividades ao ar livre, leitura e interações sociais para promover um desenvolvimento saudável e equilibrado.


Impactos negativos do uso excessivo de telas:

O uso excessivo de telas pode ter impactos negativos no desenvolvimento infantil, incluindo:
Problemas de atenção e concentração: o uso de telas pode estimular o cérebro de forma excessiva, levando a problemas de atenção e concentração.

  • Dificuldades de aprendizagem: o uso de telas pode dificultar o desenvolvimento de habilidades cognitivas, como a leitura e a escrita.
  • Problemas de sono: a luz emitida pelas telas pode atrapalhar o sono das crianças.
  • Aumento do risco de obesidade: o uso de telas pode levar a um estilo de vida sedentário, o que aumenta o risco de obesidade.
  • Exposição a conteúdo inadequado: as crianças podem ser expostas a conteúdo inadequado, como violência, pornografia e discurso de ódio.


Como limitar o tempo de tela?
A seguir, algumas dicas para limitar o tempo de tela das crianças:

  • Estabeleça regras: defina um limite de tempo para o uso de telas e explique para a criança a importância dessa regra.
  • Seja um exemplo: as crianças aprendem pelo exemplo. Se você passar muito tempo usando telas, a criança também vai querer fazer o mesmo.
  • Ofereça alternativas: proporcione à criança atividades que não envolvam telas, como brincar, ler, praticar esportes ou fazer música.
  • Monitore o uso de telas: fique atento ao tempo que a criança passa usando telas e converse com ela sobre o conteúdo que ela está consumindo.


Em resumo, as recomendações da OMS para o tempo de tela na primeira infância visam proteger o desenvolvimento saudável das crianças, limitando a exposição a telas e promovendo um equilíbrio saudável entre atividades off-line e on-line. É responsabilidade dos pais e cuidadores garantir que essas diretrizes sejam seguidas para garantir um começo saudável na vida de seus filhos.

Tags :
Blog
Compartilhe: